Como saber se devo ou não aceitar pedidos de conexão no Linkedin

Como saber se devo ou não aceitar pedidos de conexão no Linkedin

Devemos aceitar todos os pedidos de conexão no Linkedin que chegam ao nosso perfil? Como realizar essa triagem e decidir quais pedidos aceitar? O meu perfil será prejudicado se não aceitar a todos? Todas essas dúvidas são pertinentes e merecem a sua atenção. Saiba porquê!

Já não é segredo para ninguém que o Linkedin é considerado uma mina de ouro para oportunidades profissionais. Afinal, a rede social profissional pode ser tanto um meio para se conectar com especialistas em diversos setores, como para ampliar horizontes quanto às perspetivas de emprego.

No entanto, por vezes é um pouco stressante e até irritante descobrir quais pedidos de conexão aceitar e quais ignorar no Linkedin. O que deveria ser uma decisão bastante simples, logo pode se tornar uma grande dor de chatice.

  • “Será que devo aceitar o pedido de conexão de um ex-colega de trabalho de há muitos anos, num sector completamente diferente do qual atuo hoje em dia?”
  • “Estudamos juntos na mesma universidade, mas nunca tivemos nenhuma contacto direto. Valerá mesmo a pena tê-lo na minha rede de conexões?”
  • “A pessoa dá indícios de que quer trabalhar comigo, mas não há nenhum processo de recrutamento em aberto na empresa. Será que devo manter esta pessoa por perto?”

Com algumas dicas e apontamentos, certamente, ficará mais fácil responder a perguntas como as listas acima e tomar as decisões mais acertadas.

Veja como facilitar todo o processo de gestão dos pedidos de conexão no Linkedin. Vamos a isto?!

Como saber se devo ou não aceitar pedidos de conexão no Linkedin - Dicas Linkedin - Pedro Caramez - Linked2Power

Este artigo conta com insights poderosos de Kelly Hoey, especialista em networking e autora do livro “Build Your Dream Network: Forging Powerful Relationships in a Hyper-Connected World”.

Três dicas rápidas para saber se deve ou não aceitar pedidos de conexão no Linkedin

Agora vamos ao que interessa! Para saber se deve ou não aceitar um pedido de conexão na maior rede profissional do mundo — ou pelo menos pensar no assunto — as três dicas a seguir serão fundamentais. Confira!

1. Valorize (e muito!) o poder de uma mensagem personalizada

O Linkedin deixa a decisão de escrever uma mensagem personalizada totalmente nas mãos do utilizador, o que significa é possível enviar pedidos de conexão sem uma mensagem personalizada. Hoje em dia, a plataforma aponta um lembrete para escrever uma nota sempre que o utilizador envia um pedido de conexão.

Como saber se devo ou não aceitar pedidos de conexão no Linkedin - Dicas Linkedin - Pedro Caramez - Linked2Power - 1

Pense um pouco: se não se deu ao trabalho de, ao menos, explicar porque seria uma boa ideia para um potencial empregador aceitar conectar-se consigo, talvez ele entenda que não vale a pena o seu tempo. Geralmente, eu diria que “sem nota personalizada, deve simplesmente ignorar o pedido”. Contudo, acredito que essa regra não pode ser assim generalizada — afinal, há “casos” e “casos”.

Por exemplo: se estiver ao lado de alguém num evento ou conferência e falem sobre como se conectar poderia ser uma boa ideia… basta pegar o telemóvel, pular a etapa da mensagem personalizada e aceitar o pedido de conexão.

3. Tenha muito claro quais são os seus objetivos no Linkedin

Seja qual for a plataforma utilizada, o fator determinante para o sucesso da nossa estratégia é justamente a correta definição dos nossos objetivos (sejam eles pessoais ou empresariais). Dito isto, certifique-se que os seus objetivos no Linkedin estão bem definidos!

Pergunte-se sempre: “quero posicionar a minha marca no mercado?”, “quero gerar mais leads e, por consequência, mais vendas?”, “quero posicionar-me como especialista na minha área de atuação?”, “quero oferecer os meus serviços como freelancer?”, etc.

Como fazer networking no Linkedin - Dicas Linkedin - Pedro Caramez - Linked2Power - 1

Por vezes, esquecemos que, embora o Linkedin seja um serviço tecnológico, há uma relação humana por trás dele e por trás de cada pedido de conexão — afinal de contas, trata-se de uma rede social e fazer networking é a ação mais comum que poderia haver numa plataforma dessa natureza.

LEIA TAMBÉM: Dark Mode no Linkedin: veja como acionar o novo recurso

Como saber se devo ou não aceitar pedidos de conexão no Linkedin - Dicas Linkedin - Pedro Caramez - Linked2Power

3. Jamais tolere o assédio no Linkedin e leve isto muito a sério

Se algum membro da rede deixar-lhe desconfortável ou atacar-lhe de alguma forma no Linkedin (seja por mensagem, comentário ou InMail), a primeira coisa a fazer é remover a conexão e, sem seguida, denunciar o comportamento inapropriado ao Linkedin Help.

Lembre-se que denunciar atitudes inadequadas no Linkedin é importante e protege a si aos demais membros da rede. Além disso, para proteger-se na rede profissional será fundamental controlar os seus próprios níveis de privacidade. Isso irá, sem dúvida, limitar os pedidos de conexão aleatórios e de pessoas que não agregarão nenhum valor à sua rede de conexões.

Resumidamente: assediadores no Linkedin não passarão!

Como fazer networking no Linkedin - Dicas Linkedin - Pedro Caramez - Linked2Power

Últimas notas sobre os pedidos de conexão no Linkedin…

Não aceitar nem ignorar os convites recebidos na rede é um GRANDE ERRO. Não, não tem de aceitar todos os pedidos de conexão que aparecem nas suas notificações. Analise esses perfis e veja se estão em conformidade com a sua estratégia de networking. Mas sem dúvida, não deve deixar nunca esses pedidos pendentes. Combinado?!

*


Deseja aumentar a visibilidade online para si e/ou para a sua empresa?

Contacte-nos para saber o que podemos oferecer para alcançar seus objetivos profissionais pessoais e/ou da sua empresa, mais rápido, com menos esforço e com melhor presença nas redes profissionais.

Aumente a sua produtividade digital e encontre novos clientes / candidatos!